quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

Leitura do mês de Outubro de 2015


Os #livros lidos no mês de #Outubro.

#7 #títulos
#1944 páginas.
E #3 para um possível #top10.


52º #OSolÉParaTodos 
53º #ATecelãDeSonhos 
54º #ODiárioDeHelga 
55º #PorLugaresIncríveis 
56º #OPoderUltrajovem 
57º#AndroidesSonhamComOvelhasElétricas 
58º#OÚltimoPôrDoSol


O 58º #livro do ano: Último pôr do Sol de LLCarrilho.
(Li no feriado)

Bem, a Luana Leão (L.L. Carrilho) possui uma sensível criatividade. Várias vezes fui "transportado" para o universo dos personagens...

Eu só acho que ela poderia ir mais fundo em algumas coisas, ou direcionar outras em pontos específicos (mais um lance de estilo mesmo), vá mais fundo, mulher! Sua escrita é sedutora! 

Quase todos os #livros ensinam algo, esse em específico me ensinou uma expressão de amor muito linda: "Estou te vendo." A história de amor da jovem escritora Elisabeth Borgas e do galã mundial do cinema Geovane Lourenzo é #fofa e se passa na primeira parte da década de 70.

Bem, pra quem curte uma história de #amor, está aqui uma boa pedida. 

Valeu, @trechosdelivrosoficial.

Uma frase:

"Restaram-me as lembranças. Talvez delas é que sobraram o restolho de energia que corre em minhas veias. Que faz pulsar meu coração e me ajuda a abrir os olhos a cada raiar do dos. São as lembranças de que uma vez fui feliz, que me sustentaram".

É isso! 😉😁💔 #Projeto75LivrosEmUmAno


O 57º #livro do ano:
Androides Sonham Com Ovelhas Elétricas? (#Doandroidsdreamofelectricsheep?) De Philip K. Dick.

Me sinto um estúpido. PKD me deixou sem palavras com esse texto fantástico... Me sinto um nada nessa #bagulhificação toda que me assola como um ser humano.

Se querem ver ficção científica com qualidade literária, eis o cara!

Só sei que esse livro é muita viagem. 

Paro de falar por aqui! 
"Mas um dia eu vou morrer ou ir embora, e então o bagulho voltará a tomar conta de tudo. É um princípio universal que opera por todo o cosmo; o universo inteiro está se movendo na direção de um estado final de total e absoluta bagulhificação..."
________________
Sir Philip Kindred Dick, você foi um dos loucos mais fodas, cara!

Meu, enquanto o povo nem tinha "visitado" a Lua...o cara já escrevia sobre coisas como: sintetizador de ânimo, caixa de empatia, hovercar, vidfone, realidade virtual imersiva.

Enfim, sou um #Especial, um "Cabeça de galinha", um #chickenhead que achou PKD sensacional!
#Projeto75LivrosEmUmAno

Ah, agora eu preciso muito assistir ao #filme - #BladeRunner. Muito!



O 56º #livro do ano: #O Poder Ultrajovem de Carlos Drummond de Andrade.

#Drummond é do tipo que me faz pensar duas coisas: orgulho e dúvida. Orgulho por ele ser brasileiro, NATO! E dúvida, porque eu me pergunto: será que ainda há sobre o que se escrever?

Vou logo citar alguns trechos, pra evitar delongas e uma possível situação vexatória.

"...Se na conjuntura, o poder jovem cambaleia, vem aí, com força total, o poder ultrajovem. "

"...Imaginativo é mentiroso com água de colônia... "

"...Mas querido Jesus, que é que há?
Faz sentido deixar o Ceará
Sofrer em ciclo a mesma eterna pena?..."

"...Minuto de silêncio corta o samba
em duas fatias doloridas de nunca-mais..."

"— Outubro, e daí? Já não te disseram que o tempo passa?...

"...— Que inveja do animal! Nasce, cresce, ama, briga, come, dorme e morre igual a si mesmo, sem se fantasiar, sem mentir aos outros animais quanto à realidade corporal. E nunca é ridículo, salvo quando o vestem."

"...Recomendo e requeiro e decreto que todos os dias do ano sejam Dias de Amor, e não mãos disso ou daquilo, como erradamente se convencionou e precisa ser corrigido. Tenho dito. Cumpra-se."

Enfim, se eu fosse transcrever tudo ou somente aquilo que eu na minha humilde pele de mortal achei sublime... Hmmm, isso não teria fim. (Vide o #COPADOMUNDO70). Eita itabirano monstro!

#Insônia


O 55º #livro do ano foi o Por Lugares Incríveis de Jennifer Niven.

Um dos #livros do clichê mocinha e mocinho lindos (quando não só por fora, ao menos por dentro), que eu mais gostei na vida.

Com uma temática muito séria e altas referências à literatura clássica...ele te leva a algo profundo e ao mesmo tempo fluído... Lindo, lindo!

Finch é quase real e Violet também. Eu de fato já não me comovia mais com a fórmula infanto juvenil, mas Jennifer Niven arrebateu me, porque ela te leva a lugares incríveis, mesmo...acreditei tanto que fiquei até mal.
Ah, explicando essa foto meio pesada, opaca, até mesmo depressiva: eu, você, todos nós - temos que tomar muito, mas muito cuidado mesmo com essa coisa que é muito filha da puta - essa coisa de colocar rótulos, pois alguns levam essa questão a sério...

Frases? Tenho um monte! Ideias do livro? Putz, nem se fala! Citações? #VirgíniaWoolf, cara!
Tá, vou escolher essas três (mas só pra não cagar fazendo um spoiler, OK!?):

"—Às vezes, Ultravioleta, as coisas são como verdade pra gente mesmo que não sejam."

"Você me faz adorável, e é tão adorável ser adorado por aquela que adoro..."

"O que percebo agora é que o que importa não é o que a gente leva, mas o que a gente deixa." Enfim, um livro realmente #ADORÁVEL!

Bem, é isso!
#Projeto75LivrosEmUmAno
55/75
😱😍💟📚😢👏
#AllTheBrightPlaces


O 54º #livro do ano: O Diário de Helga escrito e com ilustrações fantásticas da própria Helga Weiss.

Gente, quem ama a Anne Frank que me perdoe, mas esse sim é um relato da guerra, do holocausto e coisa e tal.

Helga Weiss viveu aquela destruição inenarrável dentro de campos de concentração e sobreviveu por pura sorte. (Anne morreu, mas o diário dela consiste em relatar sua vida dentro do esconderijo, como todos já viram). Mas de certo, o que eu mais gostei foi da entrevista com a Helga no fim do livro, precisamente no ponto em que ela trata a questão de Israel - sendo bem sucinta, quase não querendo falar sobre...porque pra quem bem sabe, os judeus depois do holocausto da segunda grande guerra (mesmo depois de todo o sofrido) cometeram barbaridades que refletem até hoje no estado islâmico, e consequentemente nesse mundo no qual vivemos. Guerra gerando guerra e a humanidade fazendo merda depois de merda, sempre. Independente de qualquer nomenclatura sinônima de qualquer coisa (sendo bem genérico, espero que entendam!).

Bem, se querem um relato diferenciado sobre o vivido nos campos de concentração - claro que frisando-se, obviamente que: um relato escrito por uma pessoa x, o que não significa que tenha ocorrido, num aspecto geral, necessariamente daquela maneira - indico essa obra.

Super em promoção por aí. 

Seguem algumas (das muitas) frases que eu marquei:

•""Helga, seja boazinha e se... Não sabemos o que vai acontecer..." Mordo os lábios e contenho os soluços. Aperto a mão do meu pai; ela está quente e, em seus olhos — pela primeira vez em minha vida —, vejo lágrimas."

"Mas quando as pessoas começam a falar, há sempre um fundo de verdade" 

"Aqueles considerados aptos para o trabalho seguiam para direita; os enviados para a esquerda iam direto para a câmara de gás." •"Esqueçam as horas de sofrimento, mas nunca as lições que ensinaram. " 

"A liberdade não pode ser presa em correntes..." Bem, tem muito mais...mas é isso, por enquanto!


O 53º #livro do ano foi a história de vida da Berenice A Tecelã de Sonhos, formidavelmente vivida por meio do excelente texto da jornalista Angela Dutra de Menezes.

@cf_souza, muito obrigado por ter me dado o delicioso mundo da múltipla Berenice.

Gente, eu tinha feito uma puta de uma história aqui, porque eu amei a Berenice. Mas essa porra de #Instagram bugou e eu perdi todo meu texto. Fiquei puto!

Resumindo a missa: eu super recomendo, SUPER!

"Gentinha, avalia Berenice, é quem não mostra carinho, nem se desmancha em amor."

"Ao menos uma vez, precisamos dar chance ao amor."

"Apesar de nos amarmos e de estarmos felizes, acho a vida real desprovida de recursos, pois não sabe eternizar, utilizando palavras, os nossos momentos são únicos."

"Se, um dia, uma onda perfeita aparecer, pegue-a, como em criança. Ondas perfeitas são raras, vêm e não voltam mais."

"Não, Berenice, análise não funciona assim. Análise serve para você descobrir as merdas que fez, sem lamentá-las. Não dá para voltar no tempo e consertar o errado."

"Maluco é quem não realiza os próprios desejos."
 #Projeto75LivrosEmUmAno
PS: te amei, Berenice(s).


O 52º #livro lido no ano: O sol é para todos de Harper Lee.

Li esse #clássico, graças a @claudinhabelem, porque esse é o favorito dela.

Até a trigésima página não estava me agradando, eu bobinho, meio que estava achando que a história era infantil e coisa e tal.

Mas pensei: quando um livro ganha um prêmio #Pulitzer de literatura, ele tem que ter algo de bom.
Cara, esse livro é lindo. Acho que não vou mais esquecer de Jem, Jean Louise (Scout) e Atticus Finch. Principalmente do Atticus!

Mas, mais do que isso, acho que não vou me esquecer do que Jean disse em certa parte. Algo como: só existe um tipo de gente: Gente!

De todas as coisas escritas nas entrelinhas, de tudo que ficou por dizer...o que eu mais gostei foi da conclusão da menina Scout: "Atticus tinha razão. Uma vez ele disse que a gente só conhece uma pessoa de verdade quando se coloca no lugar dela e fica lá um tempo...".

O título em inglês faz mais sentido - #ToKillAMonckingBird. Porque eu penso que ainda hoje, embora saibamos que "O sol é para todos", ainda temos muito para aprender até virarmos gente.

Na foto eu tentei reproduzir o Doutor Atticus e o seu defendido Thomas Robinson. Contudo, mais do que isso, eu penso que eu acabei reproduzindo que os anos passam, mas as coisas não mudam muito.

Essa mão negra que está ao lado da minha é de um cara muito nobre que não teve as oportunidades que eu tive. Por ser negro? Por ser pobre? Por ser ignorante? 

Não sei...só sei que as coisas já foram piores aqui e no mundo, sei também que ainda não temos sombra pra todos, apenas o sol. Mas acredito num futuro que tenhamos amor, sombra e água fresca para todos, de verdade!
Como? Com condições iguais, gente sendo gente, independente dos rótulos que criamos, das merdas que cagamos, e de tudo que fazemos questão de praticar a fim de comprovar o quanto não aprendemos nada com a nossa "evolução". 

O resto é reprodução de preconceito velada, continuada, programada e blá blá blá.

Bem, é isso.
#Projeto75LivrosEmUmAno
📚💭📝😱👌

Nenhum comentário:

Postar um comentário